Encontro do Dia Nacional da Luta da População em Situação de Rua

A Secretaria Municipal de Política Social, Trabalho, Habitação, Terceira Idade e Desenvolvimento Humano, realizou na tarde desta sexta-feira (dia 18 de agosto) o 2º Encontro do Dia Nacional da Luta da População em Situação de Rua.

O evento, realizado no Centro POP, contou com a presença do Secretário Municipal de Política Social, Trabalho, Habitação, Terceira Idade e Desenvolvimento Humano, Paulinho Corrêa Junior, da Coordenadora do Centro POP, Daniela Martins de Almeida, da Defensora Pública Dra Carla Beatriz Nunes Maia, do Diretor da Proteção Especial, Luciano Bragança de Carvalho, de usuários da unidade, de cooperados da COOPERAMA, do Coordenador de Educação em Saúde, Richard Souza, do representante da Assistência Filantrópica à AIDS de Araruama, José Silvestre dos Santos, Pastor Felipe, entre outros.

Após abertura com a execução do Hino Nacional Brasileiro e do Hino de Araruama, o evento contou com a fala da Coordenadora do Centro POP, que agradeceu aos presentes e explicou a motivação da criação da data, comemorada no dia 19 de agosto. Em sua emocionada fala comentou políticas “cruéis”, desrespeitos aos direitos constitucionais da população em situação de rua, as causas, o perfil dessa população, que seria tratada por muitos como “invisível”, citando que torná-los visíveis seria um dos objetivos do evento.

Dando sequência, foi apresentado um curta metragem, com depoimentos diversos, comentado a seguir pela Coordenadora do Centro POP e por capelão.

Em seguida, um usuário do Centro POP pediu a palavra e agradeceu os serviços ali prestados, sendo aplaudido ao usar a frase “mesmo agente sendo invisíveis para muitos, para o Centro POP nós somos bem visíveis”.

Após, o usuário Leonardo do Carmo Santos recitou poesias e versos de sua autoria. Sendo anunciado pelo Secretário da SEPOL, em nome da Prefeita, que será publicado livro com suas obras.

A Dra Carla Beatriz Nunes Maia, Defensora Pública do Estado, falou sobre as experiências do seu órgão, sobre a importância do trabalho em rede e sobre emissão de carteira de trabalho, surpreendendo-se por não existir posto de emissão do documento no município, criticando a inoperância e omissão do Estado na oferta desse serviço, recebendo, ao término de sua fala, uma lembrança das mãos do usuário Tiago Francisco da Silva Monteiro.

O pedagogo do Centro POP, Francisco Carlos Maurício apresentou a unidade, explicando o que é e quais serviços oferece.

No encerramento, a Coordenadora do Centro POP falou que o objetivo de plantar uma semente, de mostrar que essa população não é invisível, tendo defeitos e qualidades como todos, agradeceu sua equipe e finalizou com uma frase que seria uma adaptação de uma frase de biógrafo do Voltaire: “Não concordo da maneira com que vives, mas defendo até a morte o direito de viver assim”.