GAECC/MPRJ cumpriu, hoje, mandados de busca e apreensão. O MPE denunciou Eduardo Paes em 17 de julho.

[Foto: Arquivo / Ricardo Stuckert/PR] [Fonte: MPRJ]

Segundo noticiado pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, ex-prefeito da cidade do Rio de Janeiro, foi denunciado por promotores do Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção (GAECC/MPRJ), em auxílio à 204ª Promotoria Eleitoral, no dia 17 de julho de 2020, pelo suposto recebimento de vantagens indevidas de aproximadamente R$ 10,8 milhões, em espécie, entregues por operador financeiro a serviço do Grupo Odebrecht. O valor seria destinado ao financiamento de sua campanha eleitoral de reeleição à Prefeitura do Rio de Janeiro, no ano de 2012 (prática conhecida como “caixa 2”).

Também foram denunciados o deputado federal Pedro Paulo e os empresários Benedicto Barbosa da Silva Junior, Leandro Andrade Azevedo, Renato Barbosa Rodrigues Pereira e de Eduardo Bandeira Villela.

“Cabe ressaltar que o STF encaminhou todo o material da investigação à Justiça Eleitoral, tendo chegado ao conhecimento do promotor eleitoral com atribuição em maio desse ano. Diante do recebimento da denúncia pelo Juízo da 204ª Zona Eleitoral do Estado do Rio de Janeiro, todos os acusados responderão pelos crimes de falsidade ideológica eleitoral e corrupção nas modalidades passiva (quanto a Eduardo Paes, Pedro Paulo e os sócios da agência de publicidade) ou ativa (quanto aos executivos da Odebrecht). Além disso, Eduardo Paes e Renato Pereira também responderão pelo crime de lavagem de dinheiro”, afirma notícia do MPRJ.

O GAECC/MPRJ cumpriu, nesta terça-feira (08/09), mandados de busca e apreensão em endereço de Eduardo Paes. Esta ação, executada por determinação judicial, teve apoio da Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI/MPRJ).

Em sua conta no Twitter, Eduardo Paes, pré-candidato à prefeito da cidade do Rio de Janeiro, divulgou nota oficial na qual afirma que a ação de busca e apreensão seria uma “tentativa clara de interferência do processo eleitoral”. Confira abaixo a nota original.

Eduardo Paes publicou também um video, co o título “Não vão me intimidar!”, no qual afirma ver com estranheza um história de 8 anos atrás seja explorada às vésperas das eleições e ter certeza que será absolvido.

Confira abaixo o video: