IV Encontro de Conselhos de Direitos da Pessoa com Deficiência

A cidade do Rio de Janeiro recebeu nesse dia 03 de dezembro de 2018 o IV Encontro de Conselhos de Direitos da Pessoa com Deficiência, que teve como objetivo apresentar sugestões de metas para a equipe de transição do novo governo estadual.

O evento, que ocorreu no “Dia Internacional da Pessoa com Deficiência”, teve como sede a OAB do centro da cidade do Rio de Janeiro e contou com diversos representantes de conselhos municipais, autoridades e de sociedade civil.

O início foi marcado pela linda apresentação musical de Aida, conselheira, da cidade de São João de Meriti, e seu marido Jorge. O casal usou seu dom musical para entoar o Hino Nacional emocionando a todos os presentes.

Apresentação do Grupo Superação.

Em seguida, o “Grupo Superação”, de Angra dos Reis, tomou seu lugar encantando a plateia com uma belíssima apresentação de dança em cadeira de rodas.

A mesa que foi composta pela Presidente do Conselho Estadual da Pessoa com Deficiência, Professora Edicléa Mascarenhas, pelo Deputado Estadual Carlos Minc, pelo Deputado Estadual Marcos Pacheco, pela Drª Clates, conselheira estadual da mulher com deficiência, pelo professor Luís Antônio, representante do Instituto Helena Antipof, e pelo Dr. Luis Claudio Freitas, representando a OAB.

Durante suas falas, as autoridades fizeram questão de lembrar que o “Dia Internacional da Pessoa com Deficiência” é comemorado desde 1992, busca a inserção de pessoas com deficiência na sociedade como um todo. Também se colocaram à disposição para auxiliar os presentes em suas causas. O deputado Carlos Minc usou da palavra para parabenizar toda a organização do evento, além de elogiar a OAB por sempre estar presente. Falou ainda sobre as ações do “Cumpra-se”, que visa, não apenas fazer leis, mas também lutar para que elas sejam cumpridas. Lembrou da “Lei do Passe Livre” de cerca de 15 anos atrás, que garantia direito ao passe livre para pessoas com doença crônica e encaminhadas a serviços de saúde mental.

O Deputado Estadual Marcos Pacheco, que hoje preside a “Comissão da Pessoa com Deficiência” na Alerj, levou os presentes a uma reflexão ao dizer que todas as pessoas tem limitações, e que pode haver deficiência no espaço em que as pessoas habitam e onde falta a devida acessibilidade que permitiria a todos o adequado exercício de cidadania. Uma das mães presentes no evento levantou a questão da dificuldade de informações e recursos, do estado e da federação, para as pessoas com deficiência. Lembrou ainda do estado de emergência que o Brasil sofreu, tempos atrás, com o vírus da Zika que acometeu gestantes e comprometeu a saúde de fetos que hoje são crianças com deficiências.

Também fizeram uso da palavra algumas pessoas com deficiência que puderam, de forma sucinta, explanar suas dificuldades de locomoção e de inclusão na sociedade. A professora Angela Oliveira utilizou sua poesia, que versava sobre as pessoas com deficiência e sem deficiência, para falar das lutas e vitórias das pessoas na sociedade.

O encontro contou com tradução em libras para as pessoas com deficiência auditiva.